Como lidar com as mudanças na empresa?

Profissionais que conseguem controlar as emoções e têm mais capacidade de adaptação enxergam oportunidades diante de desafios.

O mundo dos negócios está em constante transformação. São inúmeros os fatores que provocam mudanças nas organizações, tanto externos, como evolução tecnológica, desafios globais, competitividade no mercado, quanto internas, seja por conta de uma aquisição, fusão, implantação de uma nova cultura ou, até mesmo, a troca da gestão dentro de uma empresa.

Diante de cenários como estes, muitos profissionais costumam se desesperar, mas esta não é a melhor forma de encarar a situação, é o que afirma a psicóloga, coach e fundadora da Viva Desenvolvimento Humano, Marcia Ramires. Para ela, este é o momento de entender o que está acontecendo e se preparar.

Ao primeiro sinal de mudança na empresa, a primeira reação é o medo. “O que vai acontecer comigo agora? Preciso correr e arranjar outro emprego, porque posso ser a pessoa que será demitida”. No entanto, a melhor postura é entender o que realmente está acontecendo, pois qualquer mudança inesperada gera a famosa “conversa de corredor”.

Marcia entende que a posição do profissional diante de situações como esta deve ser a de evitar inflar as conversas de corredor, assim como absorver informações que chegam dessa forma, pois elas podem gerar ainda mais angústia. Informações que chegam desta maneira nunca são totalmente consistentes.

“Entenda com seu gestor quais são as possíveis mudanças que irão acontecer na estrutura da sua área, isso em caso de aquisição, fusão ou implantação de uma nova cultura. É muito comum a realidade ser diferente da teoria, pois pode ser que, inicialmente, mesmo que já divulgadas a fusão, ou aquisição da empresa e nenhuma notícia consistente tenha sido massificada, gera ainda mais instabilidade e nervosismo. Nesse caso, se seu gestor não tem informações, ou tenha e ainda não possa repassar, mantenha a calma e exponha a sua realidade e diga que aguarda um posicionamento”, orienta a psicóloga.

Após essa conversa franca com seu gestor, mantenha uma postura que continue a mostrar que seu desempenho é um diferencial para a empresa. Mostre sua motivação e interesse em permanecer na organização. Em contrapartida, é esperado que a empresa mantenha uma comunicação clara, para trazer um clima melhor mesmo em meio a algo transitório. “Sair atirando para tudo quanto é lado não vai ajudar a pensar em uma boa estratégia no processo de mudança”, alerta Marcia.

E se o que mudou foi a gestão, além de manter a postura profissional, o funcionário precisa entender o perfil do novo líder e adaptar-se a esse novo modelo; conquistar a confiança e respeito, assim como mostrar a que veio. “Se a pessoa faz um bom trabalho, se destaca, busca se desenvolver, certamente isso irá ser visto pela nova gestão”, assegura.

 

Controle da mente e das emoções

Antecipar-se à procura de um outro emprego não é a melhor alternativa, então, o que é importante ter em mente diante de um cenário incerto? Marcia diz que olhar de uma forma mais racional para os eventos é o mais sensato a se fazer, pois, nessa hora, a mente pode usar o que chamamos de generalização. “Algo que aconteceu é levado em consideração para todos os outros eventos. Um exemplo: só saber que a empresa vai fazer uma fusão é motivo para dizer que isso está acontecendo porque a empresa está falindo, ou que com isso seu emprego não vai ser mantido, ou porque o chefe lhe persegue, e por aí vai”, explica.

Outro ponto é usar a resiliência. “É como você passar por uma rua esburacada com seu carro, ele vai ficar meio capenga, mas precisa depois parar, ver o que precisa de manutenção, fazer os ajustes e voltar para a estrada. Isso também deve acontecer durante esse processo e serve tanto para sua carreira quanto para direcionar suas condutas profissionais. Use sua resiliência nesses momentos em que as coisas não estão claras ainda, persista e mantenha a calma, o equilíbrio”, indica a psicóloga. Além disso, ressalta ela, “esteja aberto aos desafios, mostre que é capaz de se adaptar a novas possibilidades e a uma nova cultura.”

 

Hora de reavaliar os objetivos

Sempre que uma mudança acontece fora do nosso planejamento, é normal sentir-se descon
fortável. Mudanças sempre tiram as pessoas da zona de conforto. Isso é um bom sinal, e é também o que dá sentido ao crescimento do profissional quando vêm acompanhadas de desafios positivos. Você pode até estar pensando: “O que pode ser positivo para mim pode não ser para você.” Mas o que você deve ter em mente é que positivo é quando algo, mesmo que desconfortável, agrega ao seu lado pessoal e profissional, como novos conhecimentos, atividades que tragam desenvolvimento.

Marcia reforça que para que tudo isso tenha mais sentido, é preciso estar coerente com seu propósito de carreira. Caso esteja fora desse caminho e você não acredita que seja algo que irá lhe ajudar a complementar essa visão, aí sim é hora de repensar sua presença nesse ciclo da empresa.

E quando a mudança é irreversível, como se reorientar e traçar uma nova rota dentro de uma nova perspectiva?

• Obtenha informações para cruzar com suas expectativas de carreira.

• Entenda que, antes de tomar alguma decisão, é necessário analisar o que está acontecendo.

• Busque as oportunidades que surgirão dentro da sua função e área diante dessas mudanças.

• Esteja aberto para os novos desafios.

• Entenda o que vai demandar de você e, inclusive, quais conhecimentos e habilidades você precisará buscar.

• Busque desenvolver sua inteligência emocional para saber lidar com as mudanças.

 

 

Comentários
Carregando...