Cooperar ajuda a crescer

Por que alguns estão obtendo resultados expressivos enquanto outros estão ainda engatinhando?

O mercado pet está em franca expansão, já sabemos disso. Nos últimos anos, o setor tem se multiplicado e é um dos que mais crescem em faturamento. E a tendência é crescer ainda mais. Segundo uma pesquisa da Abinpet (Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação), o Brasil tem a quarta maior população de animais de estimação do mundo. No total, são 132,4 milhões de pets, todos com necessidades que precisam ser atendidas pelo mercado. Porém, percebemos que alguns negócios estão alcançando maior destaque que os outros, ampliando em faturamento, clientes e unidades. Afinal, se existem oportunidades para todo um setor, por qual motivo alguns estão obtendo resultados expressivos enquanto outros estão ainda engatinhando?

Existem diversos fatores que são os responsáveis por esta questão, mas um ponto pega pesado na minha opinião: a falta. A falta de gestão de pessoas, financeira, da marca, de liderança ou de planejamento do negócio. Se empreendemos sem planejamento do negócio, não temos objetivos, estudo de mercado, de viabilidade, de concorrência, de oportunidades, de fraquezas e ameaças ao nosso negócio. Sem gestão de pessoas, não teremos aliados e sim apenas tarefeiros que trocarão suas horas de trabalho por dinheiro.

Sem gestão financeira, não iremos viver por muito tempo, e sim sobreviver com dia e hora marcados para fecharmos as portas. Sem gestão de marca, não conhecemos bem os nossos porquês, não reconhecemos para quem queremos vender, quais mercados queremos atingir, não enxergamos soluções para os desafios e brigamos com qualquer negócio do ramo por clientes que se importam apenas com preço e não veem valor no que fazemos. E, sem uma liderança que se importe com as pessoas, que inspire cada um dos colaboradores a se capacitarem e crescerem individualmente para que o coletivo se desenvolva, é como um barco à deriva. Cada um desses elementos e de outros que não citei aqui são fundamentais para o sucesso de um empreendimento baseado em resultado, em expansão e inovação.

Porém, muitos empresários e empreendedores sentem-se sozinhos apesar dos recursos disponíveis para o aprimoramento dos negócios, como o Sebrae. Ficam enredados à “correria” do dia a dia e não param para prestar a devida atenção ao seu empreendimento. Com a tentação de “fazer você mesmo” tudo que puder, muitas vezes os donos de pequenos negócios acabam se sobrecarregando de tarefas urgentes, funções operacionais, e deixam de lado as questões estratégicas e de longo prazo. Tem um problema e não conseguem ver soluções porque estão com a corda no pescoço, com as contas vencendo e a preocupação com o futuro e sustentabilidade do negócio toma conta do cenário, causando uma cegueira temporária. Alguns até aguardam por uma situação ideal, uma oportunidade, o que pode nunca aparecer se não agirem. E acabam ficando estagnados vendo o mercado se movimentar.

Com a minha experiência de mercado com alguns bons 19 longos anos, assisti muitas empresas fecharem e muitas nascerem. Já vi muitos empreendedores buscando diferenciar seus negócios com cursos e treinamentos onde adquirem um vasto conhecimento e depois não conseguem aplicar por falta de orientação e tempo. Porém, quando temos os conhecimentos e não fazemos uso deles com frequência ou quando não os utilizamos associados a outros conhecimentos, fica um gap a ser preenchido que levará a buscar novos cursos de aperfeiçoamento para suprirmos a lacuna que identificamos. E a sensação de nunca estar pronto bate sempre muito forte. Mas, o que fazer?!

Pensando nesse círculo vicioso, numa ocasião, criei uma mentoria de negócios em grupo, colaborativa, onde trocamos conhecimento, experiências e soluções juntos. Porque uma dor compartilhada pode ser sinal de troca de conhecimento e cooperação! Você já reparou em como as pessoas sempre têm um bom conselho para oferecer quando já passaram por situações parecidas com a sua? Com os empreendedores não é diferente, mesmo sendo de mercados semelhantes ou iguais.

Saber que o empreendedor ao lado também sofre com os mesmos desafios pode estimular a troca de boas práticas. É possível dar mais foco para ações que ataquem os principais desafios apontados no grupo, o que aumenta o alcance do resultado esperado e do crescimento do negócio como um todo. Já estamos iniciando o segundo grupo presencial em Porto Alegre, que abrange empresas de vários segmentos e, para o mercado pet, está sendo aberto um grupo on-line focado e estruturado para (re)pensar os negócios.

Todos nós tomamos decisões em nossas trajetórias com o objetivo de crescer cada vez mais, seja na profissão ou nas conquistas pessoais, concorda? Então, se tomar essa decisão é um importante passo para você hoje, entre em contato comigo pelo meu Instagram. Abraço!

Instagram: @kakaceruttioficial

 

 

 

Comentários
Carregando...