Revista Negócios Pet

Dar banho no cão em casa requer atenção e alguns cuidados

Dar banho no cão em casa requer atenção e alguns cuidados

Mirela Luiz

Com o Inverno chegando, os tutores procuram alternativas para ajudar o seu pet com o banho.

Para que o banho não traga problemas aos animais, é preciso dar dicas para o seu cliente estar atento a alguns cuidados, entre eles a temperatura da água, do secador e os produtos a serem utilizados. E, isso não condiciona o afastamento de seu cliente do seu estabelecimento, muito pelo contrário, você pode estar fidelizando e criando uma relação de respeito e proximidade.

Em primeiro lugar, é preciso separar todos os itens que serão utilizados no banho: toalha, xampu, condicionador, pente, escova e secador. Como o banho deve ser de morno para frio, o espaço ideal para isso é no chuveiro ou em uma bacia com a água ligeiramente aquecida. “A água quente pode agredir a pele do cão, assim como o uso de produtos não específicos para a espécie. A região dos ouvidos é uma das mais sensíveis e não pode ser molhada, por isso é fundamental protegê-la com chumaços de algodão. Olhos e nariz também precisam de atenção para que nenhum produto entre em contato com essas áreas”, destaca o veterinário e proprietário do Clube de Cãompo, Aldo Macellaro Júnior.

Dando início ao banho, é importante começar do pescoço para baixo, deixando a cabeça por último, para que o cão não se assuste. Entre os diversos produtos disponíveis no mercado que podem contribuir com essa tarefa, como xampus e condicionadores, a Procão, por exemplo oferece soluções para cuidados neutros, com óleo de amêndoas, além de outras opções específicas para pelagens claras, escuras, neutralizador de odores, com função repelente e
para peles sensíveis (sem corantes, fragrâncias ou parabenos). Para cães de pelo mais longo, a marca oferece tanto xampus com dupla função quanto condicionadores que proporcionam maciez à pelagem e auxiliam no desembaraço.

Com o banho finalizado, é hora de partir para a próxima etapa, a secagem. É importante retirar o excesso de água com a ajuda de uma ou mais toalhas secas. “A umidade pode contribuir para a proliferação de fungos e bactérias, além de deixar o animal resfriado nos dias mais frios, por isso é necessário secar bem todas as partes. O tutor pode aproveitar
esse momento para conferir se os ouvidos continuam secos e limpá-los com produtos específicos para isso. Ao utilizar o secador, o mesmo precisa estar em temperatura morna ou fria, jamais em temperatura quente, para não queimar a pele do animal. Pode-se utilizar uma escova de arame, para desembaraçar os pelos”, explica o veterinário.

Quanto à frequência dos banhos, Macellaro Júnior esclarece que cada cachorro é único e pode apresentar necessidades específicas, entretanto, a média é de banhos quinzenais para cães maiores e que vivem em espaços abertos; e semanais para pets menores, que vivem dentro de casa e compartilham espaços como cama e sofá com os tutores.

Gostou do conteúdo desta matéria? Compartilhe com seus amigos.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Revista Negócios Pet

A Revista Negócios Pet é direcionada para lojistas de pet shop, escolas de banhos e tosa, clínicas veterinárias e lojas de aquário.É uma vitrine de novidade com produtos e de acessórios mais utilizados pelos profissionais da área, assim podem trabalhar com as melhores marcas do mercado pet.

Receba nossas novidades e promoções

Fique tranquilo, não enviamos spams e nem compartilhamos seus dados.

A Revista Negócios Pet é direcionada para lojistas de pet shop, escolas de banhos e tosa, clínicas veterinárias e lojas de aquário.É uma vitrine de novidade com produtos e de acessórios mais utilizados pelos profissionais da área, assim podem trabalhar com as melhores marcas do mercado pet.
Dev by Megaflood