Revista Negócios Pet

Segmento de Banho e Tosa é o que menos sentiu os efeitos da “coronacrise”

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Segmento de Banho e Tosa é o que menos sentiu os efeitos da “coronacrise”

Por: Mirela Luiz

Com a quarentena se esticando cada vez mais por conta do aumento de infectados e mortos pelo coronavírus, diversos setores do mercado pet têm enfrentado problemas de vendas por não serem caracterizados como essenciais. Por isso reunimos alguns profissionais que já estão há anos nesse mercado para analisar e, principalmente, dar dicas de como se manter e até mesmo se destacar durante esse período tão difícil da nossa história.

 

Antônio Neto

Consultamos o groomer e também professor Antônio Neto para nos ajudar na questão das redes sociais e como usufruir bem desse meio, já que elas têm sido as principais ferramentas durante essa quarentena.

A quarentena fez com que repensássemos os nossos serviços de banho e tosa, pois a Covid-19 nos deixou numa situação nunca vista antes e sem saber o que fazer e tudo isso mexeu com todos nós profissionais do segmento de banho e tosa.

Passamos por um período tentando entender a razão, pensando como tudo iria ficar e quando iríamos voltar para nossa rotina normal como era antes, mas com o passar do tempo percebemos que tudo mudou de verdade.

E, com essa mudança, os clientes mudaram a forma de buscar serviços de banho e tosa, pois nesse momento os clientes começaram a nos enviar directs pelo Instagram, buscando orientações de como manter a pelagem do cão sem poder levar ao banho e tosa. Recebemos mensagens pelo whatsapp de alguns clientes perguntando quando o atendimento iria voltar e esta foi uma nova forma de atender e levar soluções para os clientes na qual não estávamos preparados e nem acostumados.

E, com o passar do tempo, acredito que a partir de agora donos de banho e tosa, gerentes do pet, tosadores, banhistas e também quem nunca ouviu falar em redes sociais devem buscar conhecimento de como lidar com elas, pois tudo e todos estão presentes na internet e a tendência é se manterem e buscarem produtos e serviços através delas, as redes sociais.

E sabendo de tudo isso pergunto: Você já tem uma presença nas redes sociais de maneira profissional?

Como estamos passando por um momento difícil e de mudanças, se caso a sua resposta para a pergunta acima for não, encorajo você a buscar conhecimento técnico para que sua presença digital seja percebida pelos seus clientes e também para que você possa voltar a realizar negócios através das redes sociais, pois nada voltará a ser como era. Já estamos em um novo tempo.

 

Kaká Cerutti, Gabriela Bodnar e Lucas Lappe

Sobre a importância do marketing no mercado de banho e tosa nos dias atuais, consultamos a gestora de marketing especialista em branding, Kaká Cerutti. Também a médica-veterinária, groomer e proprietária de uma clínica e pet shop, Gabriela Bodnar, que por atuar nas duas frentes tem muito a acrescentar. E o também groomer Lucas Lappe, que atua no mercado gaúcho, para dar sua visão e dicas.

Kaká

Já falamos sobre essa estatística em outros meses aqui neste espaço: o Brasil é o terceiro maior mercado de pets de todo o mundo. Mesmo com a pandemia da Covid-19, os 54 milhões de cachorros e 24 milhões de gatos nas casas dos brasileiros continuam precisando se alimentar, tomar banho, brincar e viraram companhias importantes na quarentena. Sendo assim, o mercado pet sentiu menos do que os outros os efeitos da “coronacrise”.

Dentro deste cenário, a expectativa da Abinpet (Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação) é de que o nosso segmento se mantenha estável em 2020, oscilando pouco em relação ao faturamento de 2019, que foi de aproximadamente R$ 36 bilhões. Diante do que temos presenciado todos os dias em relação a outros mercados, é uma vitória e tanto! O que de fato fez a diferença para o nosso mercado foi a classificação das pet shops como serviços essenciais, permitindo que eles continuem abertos em diversos locais do Brasil. Desta forma, não tivemos quedas brutais nos faturamentos dos negócios, que acabaram migrando também para o universo on-line fazendo o bom uso das redes sociais, do aplicativo de mensagens instantâneas whatsapp, do delivery e o drive-thru com contato zero e que vieram para ficar mesmo após o fim da pandemia – o que para nós foi uma solução que resolveu muitos problemas.

Gabriela

Porém, os serviços de banho e tosa de muitos negócios locais tiveram que ser fechados durante alguns dias em razão dos decretos municipais e estaduais e, normalmente, o setor de serviços é quem paga as contas fixas do negócio. Alguns já conseguiram retomar, outros vão fazer isso gradualmente. Porém, enquanto os estabelecimentos estão retornando aos poucos, a Gabriela Bodnar, groomer especialista da Empóriopet, que é médica-veterinária e atua na cidade de São Paulo, nos dá algumas dicas para facilitar essa retomada gradual dos serviços, captação e fidelização de novos clientes.

“A quarentena iniciada em 24 de março pegou a todos desprevenidos. Nesse momento a palavra de ordem é: biossegurança! Precisamos trabalhar, mas em primeiro lugar visando nossa segurança (assim como familiares) e de nossos clientes. Eu recomendaria aos profissionais de estética animal receber clientes devidamente paramentados com máscara, com hora marcada, e a cada atendimento faça a higienização de gaiolas, banheira e balcão com amônia quaternária. E se puderem optar pelo transporte (leva e traz) melhor ainda!”, comenta Gabriela sobre a retomada gradual dos serviços de banho e tosa.

Sobre reinventar os serviços prestados nesta quarentena, Gabriela sugere “(…) realizar pacotes com preços competitivos e com mimos (hidratação, tosa higiênica) aos clientes que adquirirem os serviços mensais e pagos com antecedência, promovendo estabilidade ao banho e tosa. Este também é um momento para se realizar economia, mas jamais perder a qualidade nos serviços oferecidos, então é preciso cortar gastos e entregar um trabalho impecável, fidelizando o cliente.”

E em relação aos clientes que, por motivos financeiros e segurança dos pets, irão optar por realizar este serviço em casa, Gabriela Bodnar dá a dica de oferecer a eles para adquirirem os produtos cosméticos em sua loja, além de oferecer um corte de pelagem mais curto e fácil de ser manejado em casa, evitando voltar com o animal embolado ou machucado em sua pet shop. “Nós precisamos entender a situação individual de cada cliente e encontrar uma forma de ajudá-lo, vendendo
nossos serviços e facilitando seu dia a dia, pensando sempre no bem-estar animal”, salienta.

E ainda alerta: “É um momento de nos unirmos mais do que nunca ao nosso cliente; e entendê-lo faz parte! Tenho certeza que quando tudo isso passar ele lembrará o quanto profissional você foi e não abrirá mão dos seus serviços!” Vale a pena olhar para esta dica com carinho!

 

Lucas

Sobre o cenário como centro de estética, trazemos para ilustrar esta matéria e deixar dicas para vocês o outro groomer especialista Empóriopet, Lucas Lappe, que atua no mercado gaúcho.

Inicialmente, Lucas relata como o início da pandemia afetou o seu negócio: “A pandemia assustou a todos nós. O medo e a insegurança de como tudo iria ficar após aos decretos do governo em relação ao comércio tomaram conta de todos. Desde antes da exigência de uso de máscaras, nós já estávamos usando e nos prevenindo e, logo após ao primeiro decreto, fechei meu centro de estética pet por duas semanas. Porém, sem trabalho, sem dinheiro entrando e as contas chegando entre vida pessoal e profissional, entramos em contato com a prefeitura e recebemos a notícia que poderíamos trabalhar; e logo voltamos.” Aqui no Rio Grande do Sul, empresas do se tor pet são vistos como essenciais, o que facilitou a vida de muitos negócios locais.

Sobre como Lucas trabalhouem seu negócio após reabrir, ele ressalta que “(…) com todos os cuidados exigidos, como máscaras e álcool em gel, extinguimos a recepção e passamos o balcão para a porta para atender diretamente por lá”. Sobre a quantidade de clientes enviando pets para o banho e tosa, Lucas diz que pelas condições locais de fechamento de empresas, demissões e pouco fluxo de dinheiro circulando pelo comércio teve baixa e muito receio sobre manter o negócio funcionando com esta baixa demanda. “Mas sempre acreditando e dando meu melhor, eu fui fazendo muita divulgação em todas as redes sociais e mandava para os clientes em forma de lista de transmissão no whatsapp os “flyers” com fotos de pets de bom-dia, boa semana, lave as mãos, comunicados de que estava aberto e à disposição, etc. E deu muito certo, o movimento até aumentou!” salienta.

“Graças a Deus posso dizer que não fomos afetados pela pandemia em relação a fluxo de clientes. O número de clientes por semana segue normal e, claro, também porque usamos produtos de qualidade, desde a linha cosmética, como de laços, os toalheiros, a máquina de secar, enfim, é de alta qualidade e o ambiente sempre limpíssimo e organizado como desde que abrimos o Studio Dog Work”, diz Lucas, que mantém sempre elevadíssimo o padrão de atendimento e cuidados em seu centro de estética. “Assim seguimos trabalhando e cumprindo todas as ordens da OMS. Não queremos e não podemos fechar nossa empresa, pois batalho há 9 anos pelo o que eu tenho hoje e dou o meu melhor para que a pandemia da Covid-19 não afete o meu fluxo de clientes.

Se eu posso, você também pode! Juntos vamos passar por essa”, ele deixa como mensagem final para os leitores. Valeu, Lucas! E você, já adaptou o seu negócio e a sua marca aos novos cenários que estamos vivendo ou ainda está esperando tudo isso passar para continuar levando a sua vida como levava antes? Sinto muito, mas a forma como vivíamos anteriormente não voltará mais. Entender este ponto e trazer isso de forma diferenciada e inovadora para a sua vida profissional é o que fará você manter-se no mercado, que é muito próspero se trabalhado com estratégia e muito propósito!

 

Waldecir Silva

Para concluir a nossa matéria, consultamos o groomer renomado e experiente Waldecir Silva, que atualmente é diretor de projetos, consultor e proprietário da Star Pet Grooming School em Timbó, Santa Catarina, para nos ajudar na missão de ofertar ideias e indicar caminhos para o tosador ou empreendedor que está perdido e ainda não encontrou a melhor solução para segurar o seu negócio e se manter no pós-pandemia. Confira!

Covid-19, nenhum outro nome foi tão reconhecido e chamado nas últimas décadas. Pegou o mundo de surpresa! Pegou um mundo despreparado! Muitos descobriram o descontrole! E você, onde se encaixa nestas afirmações?

O mundo, governantes, empresas e gestores foram pegos de  surpresa e realmente descobriram que estavam despreparados para um acontecimento assim.

Muitos se desesperaram. Muitos ficaram aflitos. Muitos desnorteados, especialmente por terem de simplesmente parar tudo do dia para noite. Decretos estaduais e municipais começaram a brotar e pôr em isolamento social toda a população. Lojas tiveram que fechar e deixando assim sua mão de obra em casa, profissionais autônomos ou MEIs tiveram de parar suas atividades.

Aí então descobriram que sem trabalhar não se ganha, descobriram que precisavam ter um plano B ou um planejamento para que pudesse “sobreviver” ante a uma parada abrupta.

Ouvi e vi muitas pessoas reclamando da falta de tempo que tinham para se especializar, para organizar suas empresas e suas vidas, vi e ouvi ao longo dos anos as pessoas dizendo que não tinham tempo para conseguir planejar o que fazer e como fazer. E adivinha o que este isolamento trouxe para
todos? Isto mesmo, o que mais faltava: “Tempo”. Agora temos tempo para fazer tudo o que não podíamos antes, porém para minha infelicidade uma das coisas que mais aconteceram durante os primeiros dias e semanas do isolamento foi as pessoas usarem seu bem mais precioso que a Covid-19 lhes trouxe, “o tempo”, apenas para reclamar, xingar, brigar, discutir, fofocar, etc. Redes sociais se impregnaram de gente com tempo de sobra para fazer de tudo, menos aproveitar o tempo que antes não tinha. Claro que, mais uma vez reforço que isto não se aplica a todos, alguns porém vão concordar comigo que realmente isso aconteceu.

Mas, sempre tem um mas… Empresas e profissionais se mobilizaram para “doar” seu tempo para que outros aproveitassem seu tempo para que pudesse aprender. Então cursos e mais cursos on-line começaram a surgir e muitos souberam aproveitar. Eu mesmo fiz várias lives e posts sobre gestão, gestão de empresa e gestão de tempo, mostrando como organizar e elevar ainda mais seus serviços.

Espero que você, que neste momento está lendo esta matéria, seja uma das que aproveitaram seu tempo para melhorar ainda mais e se fortalecer.

Ao longo desta quarentena de Isolamento Social tive a certeza que muitos não sabem aproveitar seu tempo para realmente conseguir construir uma carreira e empresas sólidas. Porém tive também a grata satisfação em saber que muitos estão em busca de uma melhoria constante em seus processos, seja profissional ou pessoal.

Gostaria de lhe deixar um conselho, se me permitem…

Busque processo na sua vida, crie procedimentos, mire em um ponto de chegada. Somente assim você chegará ao sucesso! No caminho aparecerão muitos obstáculos e distrações, porém com um ponto fixo de chegada à sua frente não se deixe desviar dos seus objetivos, assim você terá sucesso muito mais rápido e com uma solidez inabalável.

Crie sustentação em seus argumentos, que ninguém irá derrubá-lo ou descontruí-lo. São vários caminhos, ideias, propostas de profissionais que se encontraram, se reinventaram durante o caos e hoje conseguem respirar e se destacar ainda mais em suas funções. Esperamos que com esse conteúdo possamos ter contribuído um pouquinho para o conhecimento e fortalecimento de todos os profissionais do mercado.

 

 

 

Agora Nossa Edição Digital é Gratuita!

Garanta a sua assinatura e receba mensalmente nossas Edições no Formato Digital

Outras matérias que você pode gostar