Revista Negócios Pet

Entre janeiro e julho deste ano, Paraguai foi o maior importador da indústria pet brasileira

As exportações da indústria pet nacional movimentaram de janeiro a julho deste ano US$ FOB 119,62 milhões. O ranking é liderado pelo Paraguai, com US$ FOB 19,6 milhões, seguido por Hong Kong (US$ FOB 16 milhões), Uruguai (US$ FOB 10,8 milhões), Estados Unidos (US$ FOB 8,8 milhões; e maior mercado mundial) e Chile (US$ FOB 7,8 milhões).
Entre janeiro e julho deste ano, Paraguai foi o maior importador da indústria pet brasileira
Entre os 10 principais mercados internacionais estiveram Hong Kong, Estados Unidos, Nigéria e Alemanha.

O resultado parcial deste ano reforça a importância do intercâmbio comercial com os países da América Latina. Seis dos 10 principais países importadores de produtos pet brasileiros são desta região, mas o ranking destaca-se também pelo alcance global dessa indústria que chega, também, a países como Nigéria (US$ FOB 6 milhões) e Alemanha (US$ FOB 2,5 milhões; e quarto maior mercado mundial).

As informações são compiladas pela Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos). A Abinpet, em conjunto com a agência, lidera o Projeto Pet Brasil, que objetiva incentivar a exportação na cadeia pet brasileira.

 

Sobre a Abinpet

A Abinpet (Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação) representa a indústria pet, que congrega os segmentos pet food (alimento e ingredientes), pet vet (medicamentos veterinários) e pet care (equipamentos, acessórios e produtos para higiene e beleza).

A entidade fortalece o setor por meio de ações que contribuem para o desenvolvimento de seus associados e também para aumentar a percepção de que os benefícios da relação entre seres humanos e animais de estimação se estendem a toda a sociedade.

A Abinpet desenvolveu a ferramenta de coleta de dados mais confiável do mercado: o Painel Pet, que é mantido atualizado por dados e informações enviados pelos integrantes do setor. Em 2016, o faturamento da indústria pet deve atingir os R$ 19 bilhões. É cada vez maior a participação desse setor na economia nacional e, por isso, é parte relevante do agronegócio: cerca de 67,6% do faturamento deverá vir dos produtos para nutrição animal, cuja composição é 95% agropecuária, com ingredientes como milho, soja, arroz, trigo e carnes de aves, bovinos e peixes.

Todos os produtos da indústria de alimentos e medicamentos veterinários são fiscalizados pelo Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), na Secretaria de Defesa Agropecuária (DFIP, DIPOA e Vigiagro).

A associação é referência técnica para o setor e publica há nove anos o Manual Pet Food Brasil, adotado pelas principais fabricantes de alimento como guia de boas práticas. O manual contém informações sobre os padrões técnicos e de qualidade de matérias-primas, parâmetros nutricionais, metodologias analíticas aplicáveis e condições ideais de produção para garantir alimentos seguros aos mercados nacional e internacional.

Sua atualização ocorre a cada dois anos, considerando o desenvolvimento do setor.

Gostou do conteúdo desta matéria? Compartilhe com seus amigos.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Revista Negócios Pet

A Revista Negócios Pet é direcionada para lojistas de pet shop, escolas de banhos e tosa, clínicas veterinárias e lojas de aquário.É uma vitrine de novidade com produtos e de acessórios mais utilizados pelos profissionais da área, assim podem trabalhar com as melhores marcas do mercado pet.

Receba nossas novidades e promoções

Fique tranquilo, não enviamos spams e nem compartilhamos seus dados.

A Revista Negócios Pet é direcionada para lojistas de pet shop, escolas de banhos e tosa, clínicas veterinárias e lojas de aquário.É uma vitrine de novidade com produtos e de acessórios mais utilizados pelos profissionais da área, assim podem trabalhar com as melhores marcas do mercado pet.